Olaria

Apareceu no Período Neolítico, na Mesopotâmia à cerca de 9 000 a.C.  

A roda de Oleiro terá surgido sensivelmente em 4 500 a.C. no antigo Egito. 

A primeira documentação relativa a oleiros em Miranda do Corvo, remonta ao séc. XVI, tendo maior incidência nos Bujos, Espinho e Carapinhal,  aparecendo referenciados como uma classe letrada e socialmente muito prestigiada, ocupando cargos de relevo a nível local. 

As peças mais características desta região são o asado, a moringa, a bilha e a talha. Da história à poesia Coimbrã eleva-se a figura da Tricana do Mondego de asado à cabeça. Um cântaro elegante de duas asas, que se assemelha à silhueta de uma mulher e fruto da criatividade de Afonso de Moura, oleiro de Miranda em meados do Século XVI.