Espaço da Mente
Espaço da Mente

Distorções Cognitivas

Distorções Cognitivas

As distorções cognitivas refletem determinados padrões no pensamento, isto significa que, a forma de pensar sobre a realidade, perante algumas circunstâncias, situações e/ou momentos, é muito comum distorcermos a realidade e, consequentemente, gera sofrimento. Muitas vezes, acontece de forma inconsciente.

Saber identificar/detetar é crucial, pois ajuda-nos a desenvolver uma postura mais realista e funcional.

Todo o nosso funcionamento é processado pelo nosso cérebro. Em outros termos, nós geramos pensamentos sobre as nossas vivências. Além disso, temos a capacidade não só de pensar sobre a realidade atual, como também, reviver acontecimentos do passado e/ou refletir sobre o futuro. Porém, há uma grande tendência de as pessoas distorcerem os pensamentos, e esses estão interligados com as emoções e o comportamento.

Distorções Cognitivas

Consequências das distorções cognitivas

Uma pessoa que experiencia distorção cognitiva, toda a sua análise face às situações é negativa, por consequência, irá apresentar sentimentos como: a ansiedade, tristeza, frustração, com maior intensidade e frequência. Além desses sentimentos, a probabilidade de se comportar de maneira disfuncional é também evidente, como o isolamento social, por exemplo.

Quais são as principais distorções cognitivas?

Identifica-se uma tendência de a pessoa assumir culpa face a várias situações. Por consequência de tal atribuição, é comum a pessoa pedir constantemente “desculpa”.

Visão predominantemente negativa sobre a sua vida. A pessoa foca-se constantemente nas vivências negativas e desvaloriza vivências positivas.

A pessoa determina um pensamento específico e transfere o mesmo para situações/circunstâncias semelhantes. Ou seja, perante um acontecimento difícil, a pessoa distorce a realidade e presume que é uma verdade absoluta.

A pessoa desvaloriza as suas conquistas ou aspetos positivos. Em sequência, maximiza os erros e factos negativos, assumindo, assim, total responsabilidade.

Face a acontecimentos, vivências e/ou situações, dispomos de várias maneiras de poder interpretá-las. Porém, quem experiencia distorção cognitiva, a pessoa interpreta a partir de ideias polarizadas (ex. tudo ou nada).

Quem experiencia distorção cognitiva, a pessoa metamorfoseia as suas emoções. Por exemplo, alguém com baixa auto-estima – considera que ninguém gosta dele/a e que é péssimo/a em tudo o que faz.

Sem qualquer evidência, a pessoa afirma e determina o que a outra pessoa pensa a respeito dela. Tal disfunção está intimamente ligada à crença da necessidade de aprovação.

É a distorção cognitiva que mais causa sofrimento emocional, porque a pessoa está frequentemente à espera do pior, em todas as situações/circunstâncias.

A ansiedade, nestes casos, intensifica-se.

A pessoa causa ideias infundadas sobre os acontecimentos que estão por vir, como: “não vou estar confortável naquele ambiente”; “os colegas de trabalho não vão gostar do meu projeto”.

Aqui identifica-se a tendência da auto-cobrança, o que bloqueia/limita a pessoa de aceitar as coisas simplesmente como são, permanecendo, assim, o pensamento inflexível. Este padrão relaciona-se com a baixa auto-estima, expectativas irreais e intolerância à frustração.

Do mesmo modo, estão as ações absolutistas – expressões rígidas que impõem um tom de imposição a qualquer ação. Refere-se tantos às palavras, como também, ao sentimento que elas desencadeiam, tornando-se tudo numa perspetiva obrigatória, ao invés de prazerosa.

Aqui, o foco remete-se para o “papel assumido”. Como resultado, em vez de avaliar um erro (próprio ou dos outros) como algo aceitável, parte-se para a definição de rótulos pejorativos, como: “eu sou um fracasso”, “ele é incompetente”.

Na “atribuição de culpa” a pessoa tende a procurar culpados externos e considerar as próprias falhas como responsabilidade dos outros. Quem sustenta este tipo de pensamentos sente-se vítima das circunstâncias, tornando-se resistente para a mudança.

Nesta distorção cognitiva a pessoa tem um padrão de comparações irreais entre a sua vida e as conquistas dos outros – “ela tem mais competências do que, logo é mais bem-sucedida”. Tais comparações são feitas sem previamente avaliar o trajeto da pessoa, por consequência, manifesta sentimentos de inferioridade e insatisfação com os próprios resultados.

Como superar as distorções cognitivas?

Como mencionado, as distorções cognitivas são padrões disfuncionais do pensamento. Portanto, torna-se possível alterá-las. O atendimento psicológico ajuda no processo com técnicas específicas, como: identificação dos padrões disfuncionais, formulação de hipóteses construtivas, entre outras. Como resultado, alivia os sintomas ansiosos, a frustração e inseguranças.
Marque uma consulta online

Marque uma consulta online

Fevereiro 2024
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
29
30
31
1
2
5
6
7
8
9
12
13
14
15
16
19
20
21
22
23
26
27
28
29
1

Contactos

É verdade que as emoções negativas são aquelas que geram maior angústia e torna-se complicado ver o lado bom das coisas, mas essas podem ter um propósito.

- Resumindo a Mente -
Espaço da Mente

O Espaço da Mente é um espaço onde pode procurar ajuda e estratégias de forma a alcançar o seu bem estar mental e emocional. Todas as intervenções vão ao encontro de maximizar o funcionamento do indivíduo e minimizar o sofrimento psicológico suscitado por problemas psicológicos.

Membro efetivo na Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) Cédula Profissional: 24337
Este estabelecimento encontra-se registado na pela Entidade Reguladora da Saúde

Deixe a sua mensagem ou questões: